Publicado 23 jun 2016 | POR Maico Jaru Online

Fusca continua encantando gerações de Ji-Paraná ao completar 82 anos

img_8914-400x300

Um dos carros mais populares do Brasil comemora 82 anos nesta quarta-feira (22), no Dia Mundial do Fusca. Apesar da idade, o carro continua encantando gerações. O caminhoneiro Luiz Carlos da Silva conta que ao longo dos seus 57 anos já teve 12 carros do modelo. Com 29 anos a menos que Luiz, Thiago Canuto passou dois anos procurando o ‘fusca perfeito’.

O caminhoneiro conta que o primeiro carro era uma herança de família, passada através das gerações. “Assim que fiz minha habilitação, meu primeiro carro foi um Fusca e desde aquele momento eu me apaixonei por esse carro. Hoje eu só tenho dois aqui comigo, mas cheguei a ter quatro ao mesmo tempo e ao total já foram 12. A gente teve um carro que foi passando de pai para filho, era a nossa herança”, conta Luiz.

O caminhoneiro Luiz já teve 12 Fuscas ao longo dos seus 57 anos. (Foto: Marco Bernardi/G1)
O caminhoneiro Luiz já teve 12 Fuscas ao longo dos seus 57 anos. (Foto: Marco Bernardi/G1)

Luiz é um verdadeiro apaixonado, além dos dois carros na garagem, ele possui revistas sobre o veículo, miniaturas e diversos itens de decoração com o tema. Apesar dos vários carros que já passaram pela mão do caminhoneiro, um foi especial.

“Quando eu reformei minha casa, precisei vender um dos carros para pagar as obras, ele estava todo conservado quando o vendi e depois de quase dez anos eu o vi rodando, fui atrás do motorista e comprei ele de volta, o outro dono não cuidou bem e ele tava todo acabado. Arrumei tudo de novo e agora vendi para um colecionador que vai cuidar bem dele”, disse o motorista.

O carro encanta também os mais jovens, como o empresário Thiago Canuto, de 28 anos, que procurou durante cerca de dois anos até encontrar o veículo perfeito, ‘do jeito que queria’. Thiago comprou um carro 22 anos mais velho que ele, e, mesmo com toda procura, ainda teve que fazer algumas melhorias.

“Eu sempre gostei do Fusca, mas na cidade não via um que estivesse bem conservado para comprar. E eu gosto dos modelos mais clássicos, que são mais difíceis de achar. O meu mesmo é um modelo 1966. Fiquei durante muito tempo procurando na internet até achar esse, eu ainda fiz umas melhorias, mas sem perder a originalidade”, diz o empresário.

Após conseguir o Fusca tão desejado, Thiago fala sobre a sensação de dirigir um clássico. “Depois que você tem esse carro, você pesquisa sempre mais e acaba adquirindo uma enciclopédia sobre o assunto, as pessoas dizem que dirigem o carro do ano, eu dirijo o carro do século”.

Apesar de passar dois anos procurando o Fusca perfeito, Thiago conta que teve que realizar melhorias para ficar do jeito que queria. (Foto: Thiago Canuto/Arquivo Pessoal)
Apesar de passar dois anos procurando o Fusca perfeito, Thiago conta que teve que realizar melhorias para ficar do jeito que queria. (Foto: Thiago Canuto/Arquivo Pessoal)

Ultimas Notícias